Notícias

Vitória tirada a ferros

Partilha:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O C. R. Arcos de Valdevez deslocou-se à freguesia da Moita, concelho da Anadia, no dia 23 de outubro, para defrontar o MCR Bairrada. Num jogo muito disputado, conseguiu uma vitória conquistada nos últimos minutos por 19-23

Este jogo revestia-se de grande importância para as duas equipas. Para os da casa, tratava-se de dar passos para a obtenção de um dos dois primeiros lugares do grupo Norte-Centro, que dão direito à inclusão do grupo A da fase final, onde se discutirá o título nacional e a subida de divisão. Ainda invicta neste início de campeonato, cabia-lhe mostrar pergaminhos de candidato ao título. Por sua vez, o C.R. Arcos de Valdevez (CRAV) estava numa posição mais delicada: após a derrota em casa no fim de semana anterior com o RC Lousã, uma segunda derrota iria trazer-lhe mais intranquilidade. Embora nada ficasse definitivamente decidido, o facto é que duas derrotas seguidas com os outros candidatos ao apuramento trariam uma desconfortável pressão suplementar à equipa.

Esta necessidade de ganhar garantiu desde logo muito equilíbrio e emoção ao jogo. Os da casa começaram com uma penalidade convertida (3-0), aos que os visitantes responderam com um ensaio convertido (3-7). Respondem de imediato os homens da Bairrada com outro ensaio (10-7), ao que os arcuenses responderam com a conversão de uma penalidade (10-10).

Deste modo, o resultado ao intervalo era uma igualdade a 10 pontos, embora expressa de forma diferente: os da casa socorreram-se do seu maior poderio inicial no bloco avançado, enquanto que os minhotos procuravam circulações rápidas de bola e perfurações em várias áreas do terreno.

Todavia, a partir da segunda metade da primeira parte, o jogo perdeu clareza. Com várias picardias de lado a lado, ficou confuso e com muitas paragens, faltando clarividência às equipas para explorarem os seus pontos fortes e os fracos do adversário.

A segunda parte pautou-se por esta mesma toada. O jogo ficou tecnicamente pobre e taticamente confuso, embora com a emoção sempre presente no marcador: uma penalidade da Bairrada (13-10) a que o CRAV responde com uma ensaio (13-17), com duas penalidades seguidas a favor do MCR Bairrada que ditaram nova reviravolta no marcador (19-17). Só no final do jogo é que o CRAV conseguiu pôr-se no sentido da vitória com duas penalidades seguidas (19- 20 e depois 19-23), a que não foi alheia uma menor indisciplina dos visitantes. O MCR Bairrada, batendo-se de forma valente e determinada, viu as suas hipóteses de nova reviravolta gorarem-se com um total desnorte, com dois cartões vermelhos que comprometeram definitivamente qualquer tentativa de nova reviravolta.

Em termos globais, pode dizer-se que ganhou a equipa menos indisciplinada, podendo o CRAV respirar de alívio por ter ultrapassado com sucesso esta difícil etapa. O próximo jogo de campeonato será no fim de semana de 13/14 de novembro contra o Braga Râguebi, havendo no dia 6 de novembro Taça de Portugal na sempre difícil visita ao RC Lousã.

Notícias relacionadas

Mais Notícias